A vida na cidade universitária: Coxinha no bandejão?

A foto acima foi divulgada nas redes sociais da Internet em janeiro. Ela mostra uma policial militar com uma bandeja na mão dirigindo-se ao seu lugar em um dos bandejões da USP. Detalhe: sua pistola .40 continua na cintura. Vai que a comida decide protestar...

Enquanto alunos especiais ou de intercâmbio não têm direito a almoçar, os convidados fardados do reitor-interventor têm um lugar de honra à mesa
Os alunos que não são regularmente matriculados (os chamados especiais e os participantes dos programas de intercâmbio da universidade), não podem, como qualquer outro aluno da USP, almoçar nos bandejões. Como não possuem carteirinha da USP, ficam de fora dos bandejões e são tratados como uma espécie de estudantes de “segunda classe”.
Esses e os visitantes, que antes podiam fazer suas refeições pagando um pouco mais do que o valor do ticket, estão de fora da “modernização” da USP imposta por Rodas.
Já os policiais militares que circulam pela universidade a mando da reitoria…