MNN rompe com a chapa “27 de Outubro” e chama a votar nos pelegos do Psol e PSTU

Na reunião da chapa “27 de Outubro” ocorrida ontem, 14 de março, uma das organizações que a compunha, o Movimento Negação da Negação (MNN – Território Livre), apresentou seu desejo de romper com a frente única de luta contra Rodas, a PM e os processos e apoiar a chapa “Não vou me adaptar”, composta por militantes do Psol e do PSTU e simpatizantes.

Entenda o debate:

O que diz o MNN

Consideram que a prioridade do momento é derrotar a chapa “Reação” no processo eleitoral.

“A existência de diversas chapas de esquerda neste momento somente enfraquece a luta maior dos estudantes — contra a PM e a Reitoria –, pois a esquerda passa a lutar entre si”. Chamam um voto “crítico” na chapa dos pelegos por considerar que esta “é a única no campo da esquerda, hoje, com chance real de vencer a chapa de direita, a ‘Reação’”.

Afirmaram que são contrários a manutenção da chapa “27 de Outubro” na atual conjuntura.

“Caso a direita (chapa “Reação”) vença as eleições, será um duro golpe desferido contra o movimento estudantil e dificultará em muito o trabalho político dos estudantes nos próximos anos. Se não fizermos esta política de unidade hoje, seremos obrigados a fazê-la amanhã, numa situação muito pior” (citações retiradas da carta lida pelo MNN na reunião).

O que diz a chapa 27 de Outubro

Consideram que apoiar os pelegos, que ficaram contra a ocupação da administração da FFLCH em 27 de outubro, contra a ocupação da reitoria e contra a greve estudantil, é uma forma de fortalecer a direita, pois a paralisia  que Psol e PSTU (na chapa “Não vou me adaptar”) provocaram no movimento permitiu que a direita levantasse a cabeça.

Psol e PSTU não vão combater de maneira consequente a tentativa da direita de liquidar o movimento estudantil, da mesma forma que não combatem o reitor-interventor.

O apoio aos pelegos os fortalece para combater o próprio movimento, o que por sua vez fortalece a direita. A chapa “27 de Outubro” tem o papel de apresentar uma perspectiva aos estudantes que participaram da luta contra a polícia e a ditadura do reitor-interventor, e que rejeitarão o apoio à chapa do Psol, do PSTU e simpatizantes. (elaborado a partir das intervenções dos companheiros das diversas correntes e de militantes autonomistas que participam da chapa na reunião).

Entre na discussão: Escreva para usplivre@hotmail.com e exponha sua opinião sobre qual deve ser a posição dos estudantes diante das eleições para o DCE.

5 comentários

  1. Pedro Pedreiro e demais,

    Não unificar a esquerda para derrotar a chapa Reação, da direita, é uma grande traição ao movimento estudantil. Apesar de todas as diferenças existentes, não é possível que considerem a chapa ‘Não vou me adaptar’, e não a Reação, a principal inimiga dos estudantes. É bizarro.

    Observação: trabalho em um sindicato, não estudo na usp, nem moro em SP. E, mesmo assim, consigo ver de longe a grande burrada que estão fazendo.

    Sabe a merda que o Partido Comunista Alemão fez na época em que se recusou a formar frente com a social-democracia e permitiu que o partido nazista vencesse as eleições? Então, prazer, esses são vocês, mas no movimento estudantil. Enquanto vocês brincam de revolucionários com esse ultra-esquerdismo stalinista, cagam a vida da galera.

    Curtir

  2. quanta besteira vocesnã tem o que fazer. vão estudar e ler mais
    antes de defender o que voces não tem idéia, o srs são buchas de canhão dos partidos politicos.
    tenho é do de voces de quanta ingnorancia.

    Curtir

    • fica claro que quem precisa de estudo e leitura é você. está na cara que não entende nada de política nem da sociedade em que vive. não seja apenas um zumbi social e um analfabeto político. a cabeça não foi feita apenas para usar chapéu.

      Curtir

    • quanto dinheiro você tem, ó baguá? É filho de milionário, ou office-boy que sonha que é rico?

      Curtir

Os comentários estão desativados.