Rodas, o “xerifão” da USP, assume a presidência do Cruesp

O cargo da presidência do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) foi transmitido ao atual reitor-interventor da USP, João Grandino Rodas, nesta segunda-feira em cerimônia na sede do conselho. Rodas é sucessor de Julio Cezar Durigan, atual reitor da Unesp.
O Decreto 26.914, de 15 de Março de 1987, que trata do CRUESP estabelece:
“Artigo 3.º – São objetivos do CRUESP, resguardada a autonomia universitária e respeitadas as características específicas de cada Universidade:
I – fortalecer a interação entre as Universidades;
II – propor possíveis formas de ação conjunta;
III – conjugar esforços com vistas ao desenvolvimento das Universidades;
IV – assessorar o Governador em assuntos de ensino superior;
V – analisar e propor soluções para as questões relacionadas com o ensino e pesquisa nas Universidades Estaduais.”
A presidência do conselho é exercida através de um rodízio entre os reitores. Cabe aos estudantes, funcionários e professores refletirem sobre a presidência de Rodas no CRUESP. Enquanto reitor-interventor da USP, seu objetivo é servir aos interesses do empresariado e na condição de conselheiro mór entre os reitores das universidades estaduais paulistas tem maior poder de fogo. O reitor que suprimiu a escassa autonomia universitária da USP, certamente não a levará em conta durante sua atuação como presidente do conselho, certamente gerando sanções de mesma natureza contra as demais universidades paulistas.
Todos já sabem que a indicação de João Grandino Rodas, como reitor-interventor pelo Serra, tinha como objetivo fazer o que todos os reitores e governos quiseram, mas não conseguiram: privatizar a USP. Por isso que Rodas instituiu a perseguição política na Universidade, reprimiu violentamente os protestos estudantis, chegando a expulsar estudantes e, principalmente, colocou a Polícia Militar no campus.
E agora, na presidência do CRUESP, qual será a próxima de Rodas?