USP: há 230 dias sob intervenção policial

Desde 8 de setembro do ano passado, quando a reitoria firmou o convênio “USP-PM”, a Cidade Universitária foi colocada sob estado de sítio. Patrulhada pelos mesmos policiais militares envolvidos em denúncias de corrupção e de envolvimento com o crime organizado, a USP está sob intervenção da polícia, violenta e corrupta tal como ela é.

A partir desta edição, o Jornal da USP Livre! contará, no quadro acima, cada um dos dias em que as liberdades democráticas, a liberdade de expressão e organização de estudantes, funcionários e professores continuarem a ser pisoteadas.