As aventuras de Rodinhas: Quem mama na teta da loba?

Ao lado dos portões do Castelo do rei Rodinhas, moravam os servos, que sequer tinham o direito de utilizar as carroças do transporte coletivo dos funcionários efetivos e dos candidatos aos títulos de nobreza. A Comunidade Rômulo e Remo não usufruía nenhum dos privilégios do reino, e vivia sob o regime da ameaça de invasão militar e de destruição das casas. No Reino de Rodinhas, a ESFINGE só ataca do lado de fora do Castelo! Do lado de dentro, há outros monstros.

Muitos desses servos trabalhavam no castelo, durante o dia, e tinham que ir a pé ao trabalho. Chegavam suados e cansados, e ainda tinham que mostrar disposição para o trabalho, senão iam para o olho da rua. Além de ganharem apenas o suficiente para viverem na miséria da gleba ao lado do Castelo, eram ameaçados no trabalho o tempo todo:

− Se você não quiser esse trabalho, há quem queira.

E havia mesmo, pois a miséria era muito grande. A virtude não estava nos empregadores, portanto. Aliás, as riquezas do Reino do Rodinhas, encerradas em uma caixa mágica, impossível de abrir pela força e pela vontade, continha também muito suor daqueles servos sofridos que sequer tinham direito a uma moradia digna e a uma carroça para ir trabalhar.

Por outro lado, os candidatos a títulos de nobreza e funcionários que não moravam nos barracos ao lado do muro do Castelo podiam usufruir gratuitamente do transporte. Achavam que seria assim para sempre, como ocorre nos contos de fada!

De qualquer forma, o produto comercial do reino de Rodinhas e o que sustentava todo a sua autocracia e corrupção era um só: a venda de títulos de nobreza, e venda em profusão. “Um negócio da China!”, dizia o rei. Assim, muitas pessoas do reino, que poderiam ter noção das arbitrariedades perpetradas pelo rei absolutista, entendiam a venda de títulos de nobreza como um grande negócio para o reino, que continuaria beneficiando os nobres por muito tempo, pois, quando mais títulos fossem concedidos aos candidatos à nobreza, mais os nobres antigos podiam crescer na hierarquia do reino. Mal sabiam eles que o rei Rodinhas podia extinguir a nobreza e aliar-se aos grandes mercadores, quando fosse a hora!

Na Comunidade Rômulo e Remo, quem mama na teta da loba é o rei Rodinhas, e não os moradores, ameaçados de expulsão, porque as leis do Reino, que garantem o usucapião aos moradores urbanos que permanecem cinco anos em sua moradia, as leis… não tem valor?! Ou valem só para os poderosos que podem comprar advogados e juízes?! Ou dependem da boa vontade dos parlamentares do Reino, que estão indissoluvelmente ligados aos interesses dos grupos poderosos que financiam as suas campanhas eleitorais?

Onde está o Robin Hood do reino do Rodinhas?

por Reginaldo Parcianello