Opinião: A cruz

Começou o processo contra os ocupantes da reitoria da USP. O juiz e carrasco será o próprio reitor da Universidade. Os caifazes serão os diretores do DCE.

A chapa que venceu as eleições para o DCE levava uma profecia no nome: “Não vou me adaptar”. Muito cogitamos sobre o sentido desse nome. Primeiro, pensamos que fosse uma seita evangélica fazendo um movimento antidarwinista (existe até um professor na Letras que é criacionista… em pleno século XXI). Mas, deixando Adão e Eva de lado (e também o professor da Letras), chegamos à conclusão de que o nome da chapa trazia uma mensagem subliminar. A chapa era composta por elementos egressos do PSTU, partido que nunca conseguiu se adaptar à luta estudantil.

Desde a época da Convergência Socialista, essa lesma paralítica do movimento estudantil não faz outra coisa que barrar as ações de luta. Ao menor sinal de agitação, vem a palavra de ordem: “Vamos fazer uma reunião para deliberar!”

Durante as lutas contra a ditadura militar, surgiu, no Brasil um agrupamento político chamado Convergência Socialista. Seu criador não foi Deus, foi um grupo argentino que se denominava MAS (Movimiento al Socialismo). Explica-se: esse movimento, na hora de agir, sempre dizia: “Mas…”. Precisou fundar a CS para evoluir do “mas” para o “porém” (em tempo: POREM não significa Partido Operário Revolucionário Em Movimento).

Entretanto, o movimento operário avançava. Avançava também o estudantil. E a CS fazia reuniões. No entanto, outros grupos do movimento estudantil evoluíam. E a CS ficava na janela, feito Carolina, mas não via o mundo passar. Todavia, a CS deliberava. E, de conjunção em conjunção, virou PSTU.

Mas o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) tinha lá o seu estilo. Era um Stylommatophora, também chamado de lesma.

Agora, esse molusco gastrópode está na direção do DCE da USP, às vésperas do julgamento dos estudantes que tomaram a reitoria no final do ano passado. Tomaram, porque tinham pernas e não ficavam se arrastando pelos corredores deixando uma marca viscosa pelo chão.

E para complicar, as lesmas se aliaram a uma organização meio socialista, meio evangélica, chamada PSol (Praia e Sol?).

Agora, lesmas e evangélicos unidos afirmam que não vão se adaptar. Mas, na natureza, bicho algum se adapta mais facilmente do que as lesmas. Por outro lado, os evangélicos já vêm adaptados de fábrica.

E o que fazem os evangélicos? Pregam a palavra. Mas agora estão se preparando para pregar o Cristo à cruz novamente. PSol e PSTU compõem o partido dos caifazes, os religiosos judeus do templo de Jerusalém que, para não perderem as rendas do Templo, entregaram Jesus aos Romanos para que fosse condenado.

É bom , no entanto, que eles se lembrem de uma coisa. Jesus foi condenado e morreu na cruz, mas, depois, o templo rachou e os mortos se levantaram de suas tumbas.

Elmano Sadino