3 perguntas sobre… A crise na FEA

USP Livre!: Existe uma crise no curso de administração?
Fábio Martins*: O curso sofre uma crise. No início de cada semestre, as matrículas são realizadas sem qualquer critério, ficando a decisão final sob a responsabilidade do coordenador. O coordenador libera as matrículas nas disciplinas de acordo com o que ele acha melhor. Assim, os estudantes ficam sem disciplinas necessárias à conclusão do curso, o que gera centenas de casos de aluno que atrasam suas formaturas. Talvez tenham sido milhares de alunos nessa situação, sem exagero, durante toda a gestão do Prof. Hamilton como coordenador. Há inclusive boatos de que existem alunos jubilados por isso.
Existe uma Portaria, a FEA 45, que arbitrariamente e sem dar ao aluno qualquer direito à justificativa, impede a matrícula em disciplina fora de seu período, caso ele tenha tido reprovação por falta ou trancamento no semestre anterior.  Supondo que você seja do diurno e reprovou por falta na disciplina de estágio, no semestre seguinte, você não consegue pegar matéria alguma no noturno. Essa regra é utilizada à exaustão pelo coordenador prejudicando todos os alunos.
Além disso, a grade curricular do curso é desatualizada. A FEA ignora que a gente precise de uma série de disciplinas, como Empreendedorismo, Administração Pública, Sustentabilidade, Inglês para Negócios, no entanto, já estão previstas no curso [pago] da FIA desde que foi criado.
Outro problema é que temos professores que se recusam a dar provar substitutivas aos alunos em matérias em que os professores não dão qualquer importância ao aprendizado discente. O coordenador é conivente com as atitudes reprováveis dos professores e é autoritário com os alunos em suas decisões.
Acredito que o total desinteresse dos demais professores, que nos propiciam aulas “pra inglês ver”, é por conta do interesse deles ser direcionado para os cursos de Pós-graduação (tanto strictu sensu, no caso Mestrado e Doutorado feanos, quanto os MBAs oferecidos pela FIA) e outras atividades externas à docência na Graduação em ADM da FEA USP (com destaque para as consultorias fornecidas pela FIA).

USP Livre!: O diretor da graduação recentemente foi flagrado falsificando documentos de estudantes, como isso ocorreu?
Fábio Martins – O meu conhecimento do caso é que a adulteração ocorreu durante uma das reuniões da Comissão de Graduação feana, o que revoltou não apenas os Representantes Discentes como também os professores que participavam da reunião. Porém, os detalhes sobre como isto aconteceu, peço que pergunte aos diretores do CAVC.

USP Livre!: Como você vê a criação do curso pago de administração pela FIA?
Fábio Martins – O curso de graduação em administração da FIA é vergonhoso, mas, a princípio, não afeta diretamente a graduação em administração da FEA USP. Porém, apesar de não afetar diretamente, o curso da FIA possui as atualizações demandadas pelo curso da FEA, e que infelizmente não são realizadas há pelo menos seis anos (desde 2006, no mínimo), como já tinha falado no item acima. Sobre os professores da FEA e o curso da FIA, até onde é colocado pelos próprios professores feanos, e que não sei se é verdade, os professores da graduação da FIA não são os mesmos professores da graduação da FEA USP. Na relação de professores que consta no site da FIA, não existem professores da FEA, embora tenha visto lá alguns que já exerceram atividades docentes para os cursos de Graduação feanos de forma extraoficial, já que não possuem qualquer vínculo formal com a USP. Falando nisto, a médio e longo prazo imagino que os professores da FIA poderão integrar os quadros feanos. Isso porque grande parte dos professores da FEA está próxima de se aposentar, e não é difícil imaginar que um professor da FIA terá prioridade, ainda que apenas implícita, nos concursos de seleção de docentes. Caso isto aconteça, dá pra imaginar qual será a prioridade de um professor feano vindo da FIA…
E, como disse mais acima, a meu ver, a prioridade dos professores da FEA atuais em relação à FIA é nas consultorias e MBAs. Também na pós-graduação stricto sensu feana, que é alardeada aos quatro ventos como “conceito CAPES 7, a melhor do Brasil”, enquanto isso, a graduação em Administração é sucateada. Tanto que, se você ligar nas salas dos professores feanos – salas estas que ficam na FEA, é sempre bom lembrar -, em várias delas você será atendido com um “FIA, boa tarde”, o que mostra que a priorização das fundações na FEA não é apenas uma cultura entre os professores, mas já se tornou algo institucional e não desvinculável da própria FEA USP.
*Nome fictício, usado a pedido do estudante
Mande sua sugestão de entrevista para o Jornal da USP Livre!: usplivre@hotmail.com