PM Fora da USP – Tortura até a morte

Na seção de hoje de “PM fora da USP” temos o tratamento exemplar que a PM deu para um suspeito de sequestro.
Em 2003, quatro policiais de São Bernardo do Campo detiveram o motoboy Alex Sandro Neto de Almeida, jovem de 24 anos, sob a alegação de que ele teria sequestrado seu patrão.
Depois de umas das seções de tortura Alex Sandro foi levado ao hospital mas chegou morto e os policiais alegaram que ele havia sofrido de “mal súbito”.
Há relatos de que em um exame anterior de Alex Sandro ele havia relatado a um médico que sofrera choques elétricos nas orelhas.
O laudo do IML (Instituto Médico Legal) de Diadema, para onde o corpo foi levado, apontava que Almeida apresentava politraumatismos, fratura de costela e perfuração do pulmão esquerdo. O legista constatou ainda “grande hematoma atrás do baço”, “edema cerebral” e equimoses nos tornozelos, punhos, faces, coxa esquerda e no dorso do pé direito.
Não precisa ressaltar que Alex Sandro era negro e morava na periferia de São Bernardo.