Amorcrusp a serviço de quem?

Publicamos aqui texto de estudante sobre o caso do processo promovido pela cabeleireira contra estudantes do CRUSP

A que ponto chegamos?
Uma Associação de comerciantes do CRUSP?
Quem nos processa?
Por que os mesmos processados pela reitoria, pela COSEAS/SAS, são processados por esta pobre “trabalhadora”?
Por que os mesmos caluniados pela Veja, Folha, Reitoria, Estadão, são também aqui caluniados?
Quem esta sendo ofendido de fato por um processo, sem provas, onde não há nenhuma verdade?
Por que estudantes, moradores expulsos do CRUSP e até da USP, por lutar, são “pessoas”, “grupos” (assim como diz em suas entrevistas Rodas e seus aliados) e essa micro-empresária é uma “trabalhadora” com seu serviço “essencial”?
Por que membros da gestão (abertamente favorável a COSEAS e que não seguia as deliberações de assembléia) destituída na época, vem a tona defender esta empresária?
A que politica de fato está a serviço esta associação e quem mais assina este texto?
Quem vai LUCRAR com tudo isso?
Tirem suas próprias conclusões…

Luciana Ramos