RESPOSTA AO ATO “feminista” DO DCE

Alguém poderia explicar-me concretamente o que seria machismo? No Código Penal não consta nada.

O que foi descrito me parece mais beicinho de crianças mimadas brincando de revolucionários esquerdistas que tiveram o brinquedo quebrado.

Esse PCO não toma jeito, fica estragando a brincadeira dos meninos apontando incoerências.

Enquanto o Movimento Estudantil organizado fica discutindo o fato de um militante ter mandado o outro “calar a boca”, seja lá de qual orientação sexual forem, (nem vias de fato chegaram e se chegassem eu apostaria na menina), a luta, contra as ações concretas da burocracia contra os estudantes, ficam relegadas a segundo plano e o “cala boca” verdadeiro promovido pela burocracia atinge e ameaça de verdade a todos.

O Miss bixete e o Integra poli, dado o fato dos organizadores terem “incitado ao crime” ao promoverem gincanas que continham ofensa moral, prática de ato obsceno e pornografia, poderiam fazer seus organizadores serem responsabilizados criminalmente.

Porém, o fato contundente mesmo é que foi utilizado, com autorização da “burocracia USP”, o dinheiro e o espaço público da Universidade para essa festa, no mínimo, idiota.

Em relação a essas festas, que ocorrem no espaço da Universidade, o DCE , como representante de todos os estudantes perante a Universidade, possui capacidade postulatória, para de ofício, solicitar a Reitoria que impeça a sua realização, podendo representar o MP para interpelar judicialmente ao Reitor se esse não olvidar esforços para impedi-las. Pode até chegar a destituição do Reitor por improbidade administrativa.

Já pensaram que legal seria o Reitor ser destituído do seu cargo por não cumprir a função pública e por uma denúncia feita pelo DCE.

O DCE deve porém se conter, pois está citando o nome do aluno e incitando os outros alunos contra ele, sem que sua culpa tenha sido apurada e condenada pelas instâncias administrativas e legais se algo de errado ele fez.

Isso caracteriza criminalmente a Injuria e a Difamação, crimes tipificados no Código Penal, já que visa a criar falsamente um fato crime, e pode voltar-se contra vocês se ele resolver valer-se dos mesmos métodos e denunciar também.

Dessa forma estarão fazendo o serviço da burocracia da elite sem que eles precisarem mexer uma palha.

Chamem um ato público de verdade contra oponentes verdadeiros.

Luis Rodrigues
Estudante de letras

Um comentário

  1. Completo absurdo a cara de pau dos editores desse jornaleco que, além de promoverem o machismo, são uma seita maligna para todo o Movimento Social.

    Curtir

Os comentários estão desativados.