Unificar a luta entre USP, Unesp, Unicamp e Unifesp

Imagem

Diante da ofensiva das reitorias das universidades públicas contra qualquer mobilização estudantil é necessário uma unidade estadual.
Os estudantes em luta da USP, Unifesp, Unesp e Unicamp devem realizar uma frente para se contrapor aos ataques contra o movimento estudantil e contra a política dos governos de destruição das universidades públicas.
Há uma insatisfação geral da população com a política de destruição da educação superior e fundamental no Brasil. A greve dos professores estaduais é um sintoma desta insatisfação e da destruição do ensino.
Na Unesp mais de cinco faculdades estão em greve e algumas com ocupação para protestar contra o estado deplorável da assistência estudantil que está sendo completamente atacada pela reitoria da universidade. Cotidianamente estudantes são expulsos das moradias, o número de vagas é cada vez menor, bolsas auxílio moradia, alimentação e transporte são cortadas e dezenas de estudantes ficam em situação precária para continuar os estudos, muitos abandonam o curso por falta de condições financeiras.
Na USP existem os mesmos problemas de total descaso com a assistência estudantil. São constantes os problemas apresentados por estudantes moradores do CRUSP. Além das péssimas condições dos apartamentos, estudantes são despejados sem nenhuma cerimônia, os calouros são obrigados a morar em alojamentos insalubres e ficam esperando meses e até anos por uma vaga. As assistentes sociais são uns verdadeiros carrascos que não atendem as necessidades dos estudantes tratando todos com extremo descaso.
Há ainda o agravante de que existe um regime de perseguição política contra qualquer estudante que proteste contra esta situação. São mais de 100 processados na USP.
Na Unifesp estudantes também estão sendo acusados de formação de bando e quadrilha e são péssimas as condições dos campi que abrigam os novos campi. Falta restaurante universitário, moradia e até mesmo bibliotecas.
Enquanto isso os reitores fecham acordos de privatização e esbanjam a verba da universidade. Recentemente foi noticiado que as três universidades estaduais paulistas tem mais de R$ 7 bilhões em caixa que não foram gastos.
É necessário organizar ampliar a fortalecer o movimento de ocupação, os estudantes da USP, Unesp, Unicamp, Unifesp em luta devem organizar uma agitação mais ampla.