Deboche: Casos de achismo no movimento estudantil preocupam USP

ul 121 - jc livre - caos de achismo

LUA DE ENDOR – Violentos debates tomaram conta do cenário da universidade: ativistas independentes, partidos, associações, agrupamentos, grupelhos, sindicatos, síndicos e sociedades de amigos em mesas de bar da região do entorno do Butantã e Rio Pequeno, incluindo a USP.

Casos de achismo se espalharam entre ativistas do movimento estudantil de maneira misteriosa na última semana. O que desencadeou a onda de achismo no M.E. foi uma polêmica surgida na última assembleia geral dos estudantes da USP.

Após os informes de início de assembleia, foi lida pela Frente Formalista Seminarista da USP uma nota que alertava para os perigos de uma movimentação extraterrestre na universidade. Apesar de nenhum fundamento, a notícia impactou sobremaneira uma parcela desavisada dos ouvintes que dispersou a assembleia.

O DSE (Detetizadores de Sociedades Extraterrenas) que presidia a mesa defendeu a nota e ainda causou mais polêmica ao alertar que pessoas ali presentes poderiam compactuar com os contatos imediatos de terceiro grau, enviados de galáxias distantes.

“Há o receio de que agentes infiltrados aqui favoreçam uma ocupação no campus para subverter a democracia vigente de Plutão Saturnino Rodas” arriscou um membro do PSTU (Partido de Satélites em Trânsito Unificados).

O DSE ligado ao PI-sol (Partido da Irradiação Solar), apontou os militantes do PCU (Partido da Causa de Urano) como principais suspeitos das ligações com invasores do espaço e de defenderem a revolução intergaláctica em seu programa partidário.

“A autonomia espacial do campus pode estar ameaçada! Há um espectro rondando a praça do relógio e provavelmente tenhamos agentes extraterrestres no movimento estudantil”, declarou a diretora do DSE, Drâmia Dramin, pouco antes de decretar a assembleia encerrada.

Militantes do PCU cercaram a mesa pedindo direito de resposta e foram acusados de lunáticos.

“Querem nos acusar de posadistas*, mas não somos como os pelegos do DSE, somos terráqueos e trotskistas” gritou o militante do PCU, Vandré Berrento, apontado como alienígena, impedido de ter direito de resposta após as acusações.

Drâmia teria sido uma das testemunhas do DSE do que teria sido um sobrevôo de discos no Espaço Verde das Ciências Sociais na semana passada. O objeto teria sido avistado num encontro organizado pelo CEUPESS (Centro de Estudos Ufólogos e de Pesquisa do Sistema Solar). Testemunhas que participavam de um Sarau de libação baquiana confirmaram a aparição.

“De fato achamos que um disco voador foi avistado. Temos a impressão de estar correndo sérios riscos” declarou Vênus de Milo, organizadora da atividade cultural e membro do grupo de mulheres enólogas da faculdade de Letras, o Marias Taverna.

Especialistas em achismo e questões do gênero comparam o acontecimento ao ocorrido em 30 de outubro de 1938, quando um programa de rádio simulando uma invasão extraterrestre desencadeou pânico na costa leste dos Estados Unidos.

“Casos de achismo, penso eu, tornam-se cada vez mais recorrentes. Isto poderia se enquadrar no que eu tendo a definir, como proto-entre-safras de renovação culturalista pseudo pós moderna, ou o que até mesmo significaria uma tendência post mortem do senso crítico individualista Weber-Kantiano do capitalismo moderno solar”, declarou o professor antropólogo marxiano filósofo emérito, Hélio Mezzo Sfera.

Já o reitor Plutão Saturnino Rodas em entrevista à imprensa comparou o acontecimento a um fato mais recente de cunho político, o 27 de outubro de 2011. Nesta data estudantes expulsaram a PM do Campus no estacionamento da História e Geografia.

“Esse movimento de lunáticos e extremistas na USP começou mais recentemente. Estudantes dizem desde então que a presença militar estranha ao campus deveria ser expulsa para o uso de entorpecentes. Sou a favor dos movimentos de reivindicação, desde que dentro da órbita legal.”

Plutão Saturnino reiterou a defesa do uso de 400 membros Stormtroopers naquele mesmo ano para reintegrar posse na reitoria e prepara para esse ano, além de torres de observação intergaláctica nos estacionamentos, a presença de um reforço de tropas incluindo os Snowtrooper, tropas para terrenos gelados, Sandtrooper, para terrenos desérticos, e Scouttrooper , tropas especiais a serviço do Império ou até mesmo para servirem como espiões nas salas de aula. Tudo será avaliado em conjunto com o governador do estado.

Filipe K. Dick

*Juan R. Posadas foi (de fato) um teórico líder argentino que se dizia trotskista, mas com idéias controversas que saíram um pouco do raio terrestre e do campo do materialismo histórico. Entre elas estava a existência de extraterrestres entre nós e estes como seres pertencentes a uma sociedade mais avançada do que a humana. Sua conclusão era de que como membros de uma sociedade avançada, estes só poderiam ser comunistas.

o texto foi publicado inicialmente no Jornal Campus Livre
https://www.facebook.com/Jornal.Campus.Livre