diretor do DCE afirma: “Recebemos uma importante contribuição da reitoria”

vou me adaptar
“A pressão abre o buraco e a mancha da gestão “Não Vou me adaptar” se define e revela a que esta é adaptada” (Lúcio Falsi)

A frase destacada no título acima foi proferida pelo diretor do DCE, Gustavo Rego, na última reunião do CCA (Conselho de Centros Acadêmicos).

Na reunião, a direção do DCE colocou em pauta as finanças da entidade. A intenção da direção do DCE era pedir uma contribuição fixa dos CA’s, uma cotização mensal, para sustentar as atividades da entidade.

Neste ponto, diversos CA’s apresentaram divergências com a prestação de contas que a direção do DCE publicou no final do mês de abril, referente a sua atividade financeira dos meses de janeiro a março de 2013.

Entre as muitas críticas feitas pelos presentes à reunião do CCA foi dito que a “prestação de contas era ridícula”, “mentirosa”, e que “a prestação de contas do DCE é uma planilha do Excel, sem data (…) e se o governo do Estado apresentasse uma prestação de contas dessa, poderia ser acusado de roubo”.

A direção do DCE, imediatamente após estas observações, usou a velha tática de acuar moralmente os estudantes que se opõem a sua política. Disseram que a prestação de contas estava sendo utilizada para “desgastar o DCE” e que aquilo era ilegítimo.

tabelaA origem da “importante contribuição da reitoria” para o DCE
O representante de um dos CA’s comentou as contas apresentadas dando o exemplo de que segundo a planilha apresentada pela gestão do DCE, a entidade teria lucrado R$15.000,00 com a venda de cerveja na festa da calourada. Na mesma planilha, a gestão declara ter gasto R$600,00 na compra de cerveja. “Para chegar a este lucro o DCE teria que ter cobrado cerca de R$ 30,00 por cerveja (!!!)”, disse o diretor de um Centro Acadêmico.

Para se “defender” das observações totalmente pertinentes dos diretores de CA’s presentes à reunião, o diretor do DCE citado acima declarou: “a festa da calourada teve uma contribuição importante da reitoria e por isso [este valor], não apareceu na prestação de contas”.

Ou seja, o DCE foi financiado pela reitoria e a “contribuição importante” que não foi revelada, nem sequer foi listada na “planilha do excel” apresentada a título de prestação de contas da entidade.

No final desta discussão, foi feita uma aferição com os CA’s para ver qual deles poderia fazer uma cotização mensal com DCE. A maioria dos CA’s disse que não iria se comprometer em contribuir com o DCE. Um dos diretores do CAVC (Centro Acadêmico Visconde de Cairu), o CA da Faculdade de Economia e Administração, disse: “Não contribuiremos até que seja apresentada uma prestação de contas minimamente aceitável”. E ainda afirmou que se o DCE precisasse de uma “assessoria” para fazer a prestação de contas, além da planilha do Excel, eles estariam a disposição.

Um comentário

  1. qua qua qua parece que a cultura popular não pre4cisa de nenhuma bela contribuição pra acontecer; ela simjplesmente acontece; bela contribuição me parece algo como caixa 2

    Curtir

Os comentários estão desativados.