Convênio USP/PM: comando de greve é organização criminosa

Imagem
Foto e comentário do coronel chamando o comando de greve da San Fran de PCC.

No primeiro dia de greve na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, foi realizado um comando de greve para discutir atividades e o rumo da greve que foi aprovada na quinta-feira, dia 8.

A página do DCE no facebook postou uma foto dos estudantes reunidos no pátio da San Fran e eis que um dos três coronéis nomeados pelo reitor-interventor, João Grandino Rodas, para a Superintendência de Segurança da USP, comparou o comando de greve dos estudantes ao Primeiro Comando da Capital (PCC).

Em seu comentário na página do facebook do DCE, o coronel comentou “Primeiro Comando… só falta inserir Capital”, se referindo ao PCC, organização criminosa que é usada de bode expiatório para o massacre da PM nas periferias de São Paulo.

Esta não é a primeira vez que Jeferson Almeida ataca a organização dos estudantes. Ele também fez comentários ofensivos na página do Jornal da USP Livre!, em uma imagem publicada pelo jornal contra o massacre do Carandiru, cujos policias foram julgados recentemente.

O comentário do coronel mostra qual é o significado do convênio firmado com a PM e quem Rodas colocou para comandar a guarda universitária e qual a posição destes frente ao movimento estudantil, muito contrária a toda a ladainha apresentada no começo deste ano dizendo que a segurança da USP era baseada na “cultura da paz” e que as manifestações estudantis seriam respeitadas. A comparação do comando de greve a uma organização criminosa, certamente mostra que o ex-PM não vai deixar de agir como um PM durante uma mobilização estudantil.