Greve na Sanfran: Quem são os professores fura-greve?

20130816-132657.jpg

Meia dúzia de professores da Faculdade de Direito do Largo São Francisco insistem em continuar dando aulas durante a greve dos estudantes e, mesmo não havendo alunos na sala, estão considerando a aula como dada. A ação que pode facilmente ser revertida com o avanço da greve, tem como fim tentar impulsionar o setor contra a greve, mas não está surtindo efeito. Por fim, quem são estes professores?

A foto acima, como se vê, é do quadro da sala do professor Eduardo Gualazzi, declarado apoiador da ditadura militar que começou a dar aula naquele período dos governos militares e é famoso entre os alunos por falar da “revolução de 64” e do milagre econômico. Outro fura-greve é o professor José Simão, ele está tentando dar aulas e não por acaso é membro da comissão da graduação, que é uma das principais responsáveis pelo caos na matrícula.

Outros dois fura-greves que estão (ou estavam) tentando passar por cima da mobilização estudantil  e também têm participação direta no problema e em sua solução é Paulo Borba Casella, (ex)vice-diretor que acaba de renunciar do cargo de diretor da faculdade em exercício e o professor Luiz Schoueri, que também é da Congregação. Casella que é amigo do reitor Rodas, se mostrou contrário a qualquer negociação com os estudantes grevistas e se negou a participar da Audiência Pública convocada sobre a paralisação.

Ainda tem os fura-greves Ricardo Leonel e Heitor Sica que também chegaram a dar aula, mesmo não havendo um décimo de alunos em sala, quando havia. O professor Carlos Portugal Gouvêa, também tentou dar aula, mas viu que o movimento estava com muita adesão e acabou declarando que não iria mais dar aulas neste período.

2 comentários

  1. nem para escrever português direito… realmente, as aulas estão fazendo falta.

    Curtir

Os comentários estão desativados.