Breton, Magritte, Dalí e Buñuel…

surrealistas

Breton, Magritte, Dalí e Buñuel ficariam com inveja do que Cabide, Pedrinho, Fiona e Sâmila aprontaram na assembleia de ontem.

A decisão dos estudantes foi arrastada para lá e para cá e, ao fim de inúmeras intervenções, gritos, idas e vindas, nossos heróis fizeram a assembleia votar se ela concordava com o que havia votado antes.

Somente o surrealismo explica o que a turma do DCE fez.

Não é, certamente, por senso artístico apurado que procuraram transformar o surreal em pesadelo. Estavam decididos, apenas, a fazer com que a assembleia “desvotasse” o que votou.

E como fizeram isso? Obrigando a assembleia a votar a seguinte questão:

“A assembleia interpreta que ‘fim do reitorado’ e ‘eleições diretas para reitor’ são coisas contraditórias, sim ou não?”

Só quem viu ao vivo pode entender perfeitamente (no sentido figurado, já que entender realmente é impossível) o sentido dessa votação, ainda mais em meio à confusão estabelecida pelas sucessivas questões de ordem encaminhadas à mesa para impedir a discussão.

Chama-se obstrução o procedimento parlamentar destinado a impedir uma votação. Os diretores do DCE acham que estão no Congresso Nacional… atuam como deputados que, tendo recebido seu michê, fazem de tudo para garantir que uma votação seja definida de acordo com os interesses que representam.

Como nosso propósito aqui não é confundir ainda mais as coisas, coloquemos claramente:

O que a assembleia votou?

O fim do reitorado, por um governo tripartite.

O que o DCE quer?

Eleições para reitor.

O que significa “eleições para reitor”?

Significa escolher um reitor.

É preciso haver reitoria para que se possa escolher um reitor?

Sim, naturalmente.

O que é “fim do reitorado”?

Significa: extinção da reitoria; fim da reitoria; anulação da existência da reitoria; proibição de que uma pessoa, o reitor, governe a universidade.

O que é “governo tripartite”?

É uma forma de governo da universidade, em que estudantes, funcionários e professores compõem democraticamente a administração, de maneira proporcional ao número de cada uma dessas categorias (80%, 15% e 5%). 

Não custa repetir: o que a assembleia votou?

O fim do reitorado, por um governo tripartite.

Tire o leitor as conclusões que quiser

O Crápula

Um comentário

Os comentários estão desativados.