Professor da Geografia quer processar estudante grevista

Mais uma dos professores antigreve. Na última assembleia geral de estudantes da USP no campus Butantã, realizada na quinta-feira, dia 24, um estudante da Geografia relatou que está sendo processado jurídico e uma sindicância por um professor do curso por denunciá-lo de uma agressão.

De acordo com o estudante, no dia 3 de outubro, foi realizado um piquete no prédio de geografia\história, e nesta ocasião, o professor Ricardo Augusto Felício, agrediu uma estudante. O caso foi denunciado amplamente e agora o professor Felício, também conhecido na Geografia como Felixo, escolheu um estudante para abrir um processo Jurídico e administrativo.

O professor Felixo é um caso à parte, ele é conhecido por declarações “polêmicas” como “não há elevação do nível do mar”, “o efeito estufa não existe”, “a camada de ozônio não existe”, “a Floresta Amazônica se reconstituiria em 20 anos após ser desmatada”. Há indícios de que estas declarações são incentivadas por organizações de direita como o MSIa – Movimento de Solidariedade Ibero-Americana que é ligado à UDR (União Democrática Ruralista). O professor Felixo também é queridinho do Instituto Millenium e já foi citado com louvor na página de Orlavo de Carvalho. Os estudantes também denunciaram que o Felixo é ex-militar.

Nesta semana haverá plenária departamental da Geografia onde o caso será discutido. Os estudantes da Geografia devem participar e apoiar o estudante que está sofrendo uma perseguição política. Na plenária o voto é universal.

As assembleias da geografia\história deliberaram o pedido de demissão do professor e também foi ratificado na última assembleia geral.