Pra que serve o “sorteio” de falas na assembleia

Nas duas últimas assembleias de estudantes da USP a direção do DCE (Psol/PSTU), no comando da assembleia, defendeu um número determinado de falas com sorteio dos inscritos.

O Jornal da USP Livre! apurou o resultado destas duas assembleias e concluiu que em ambas o DCE teve mais de 50% das falas. Na assembleia do dia 16 de outubro, foram selecionadas 20 falas em meio a mais de 100 inscritos. Destes, 10 “sorteados” eram membros da direção do DCE, outras 8 falas foram divididas entre outros grupos políticos e duas falas de estudantes em partido.

Na assembleia da última quinta-feira, foram 16 falas “sorteadas”, 8 foram falas de integrantes do DCE, 7 de outros grupos e houve uma desistência. E nenhuma fala para estudantes independentes.

Este “método” empregado pelo DCE com a farsa de que permite que todos os estudantes falas, na prática só da oportunidade para o DCE falar e dar a impressão de que a política da entidade é majoritária no movimento. O DCE incha a lista de inscritos para que depois, no suposto “sorteio” que não passa de uma escolha aleatória na lista de inscrição baseada em uma divisão do número de falas pelo número de inscritos.