Aberta a Temporada de Caça aos Bichos 2014

Com gritos, agarrões, abraços, cafunés e muita bajulação, será dada a largada para mais uma Temporada de Caça aos Bichos, a competição de amiguismo na universidade. Quem conseguir bichos garante votos nas eleições. É nessa temporada que os líderes da juventude tentam unir todos no mundo mágico onde não há disputas e brigas, marcando a cerimônia de abertura.

O evento é patrocinado pela Companhia Inflaego, que dá cursos de capacitação para a todos os grupos que participam da edição deste ano. A companhia oferece bolsas para todos competidores. O líder do grupo campeão do ano passado na Categoria Abobrinha, Pedrinho Cabide, foi premiado com um mestrado e nos conta quais são as suas perspectivas para este ano: “queremos estar na linha de frente das eleições que virão, por isso é fidedigno vencermos também na Categoria Bajulação e conseguirmos o silêncio sepulcral na assembleia. Este ano laçaremos a campanha ‘junte-se aos Tontos e concorra a um encontro inesquecível com a Fátima Bernardes”.

Dentre as atividades programadas, destacam-se as palestras com intelectuais e parlamentares para fazer a cabeça da moçada. A reitoria da universidade apoia a iniciativa. Em nota oficial, afirma que “A Temporada de Caça aos Bichos é tradicional na universidade. Em 2014, a Companhia Inflaego adotou como mote ‘todos juntos porque unidos fazemos a diferença, por outro futuro’, com temas acertadamente fora do contexto de luta dentro da universidade e com debates em que os estudantes não falam, só escutam.”

Essa é uma oportunidade imperdível para sentir o calor dos veteranos. A cooptacao de calouros é um projeto a longo prazo, muito bem arquitetado pelos líderes do movimento estudantil. Os jovens carneirinhos perceberão em breve as infindáveis rixas eleitorais entre os coletivos e partidos pelegos, que inclusive são responsáveis pela segregação de panelinhas – o timbalaie das Varetas, o saraus da Jangada e o rolar do feno dos MuLerQues – dentro de uma faculdade supostamente libertária, fantástica e acolhedora. O objetivo final, além de presidiar o CA (centro acadêmico), é usá-los como massa de manobra, algo que pode-se chamar de chapeuzinho vermelho e lobo mau, a nível universitário.

A principal atração desta edição será a barraca do beijo, que está programada para o fim da noite. Alguns grupos dissidentes estão organizando também a barraca do amor-livre, que tem provado ser um método muito mais eficiente de aumentar a colheita.

Durante a temporada, os calouros receberão uma sacola com informações sobre como ser coxinha na USP. O material consiste em cartilhas de catequese sobre a como a burocracia da universidade é boazinha, sobre seus programas de cooptação e de auto-aprisionamento dos estudantes, inclusive as de cooptação internacional, além do Manual de Ética e Estética.

Nos próximos dias faremos a cobertura completa e clandestina desse magnífico evento. Fiquem ligados.

Alcides Pedrosa e Jilbertina Capivara