PALAVRA LIVRE DO LEITOR

Li o último número do Jornal. Verdade, todos os que ganham acima do teto são reitoráveis. Mas a Maria Arminda, da Pró-Reitoria de Cultura, foi salva da lista. Justo ela, que mora no Jardim Europa, comprou smartphone com verba para aquisição de equipamento de sua pró-reitoria (mas ela usa dentro e fora do trabalho…) e mandou um funcionário da Pró-Reitoria fazer um serviço na casa dela (o computador foi comprado com verba da pró-reitoria, mas fica na casa dela). Não sei se vocês estão caindo naquela conversa publicitária da tucana, que é falar de direitos humanos, quando ela mesma não as cumpre e muito menos os seus cupinchas. Um funcionário do Maria Antônia tem sofrido assédio moral do diretor do local, por exemplo… e é coisa recente.

 

O Observador