Como conseguir uma vaga no CRUSP e outros direitos

Todo estudante tem direito à moradia estudantil.
Todo estudante tem direito à moradia estudantil.

Um dos principais problemas para os estudantes que passam na USP e não moram na capital é conseguir um lugar para morar. Há no campus Butantã da USP o Conjunto Residencial voltado para moradia estudantil. O CRUSP tem cerca de 1500 vagas e foi todo conquistado através da luta dos estudantes, por meio de ocupações. Hoje, esta moradia é organizada pela burocracia da universidade, através da Superintendência de Assistência Social (SAS) e por isso, conseguir uma vaga é um processo burocrático e político.

Após fazer a matrícula, todo aluno pode concorrer a uma vaga. Para isto, é preciso ir até a sede da SAS, em frente ao bandejão central e fazer uma solicitação de vaga na moradia. O ideal é pedir uma vaga emergencial, para ser direcionado para um alojamento imediatamente, enquanto aguarda a aprovação para uma vaga fixa. As assistentes sociais procuram desestimular os estudantes que precisam, afirmando que não haveria vagas e até colocando-os contra os atuais moradores, como se fossem culpados pela situação. Mas é preciso insistir e lutar por este direito.

No processo de seleção, as assistentes pedirão diversos documentos, afirmando que sem eles é impossível conseguir a vaga. Não é bem assim, apresente os documentos que tiver, escreva declarações de próprio punho, até que tenha os documentos que for possível conseguir.

Apesar das inúmeras documentações pedidas, o que importa mesmo para as assistentes são questões políticas e ideológicas: a direção da USP não quer ninguém no CRUSP (e na USP em geral) que seja crítico, que vá lutar contra os desmandos desta direção. Por isso, o mais importante é omitir qualquer posição nas entrevistas, não importa o que você fará depois de conseguir a vaga.

Caso não consiga vaga no alojamento, também há a possibilidade de conseguir a vaga de hóspede em algum apartamento, basta correr atrás de moradores, sempre tem alguém que ajuda.

Além da moradia, a SAS fornece auxílio moradia, para quem não consegue a vaga e precisa pagar aluguel, que são míseros R$ 400; auxílio alimentação, que torna o bandejão gratuito para quem provar ter baixa renda; auxílio transporte de R$ 200, que é cortado durante as férias; e auxílio livro de R$ 150 por mês, para ser gasto nas livrarias da EDUSP.