“Coxinhas” se insurgem contra estudantes negros na Faculdade de Economia da USP

Para ilustrar a matéria: os bebedouros de negros e brancos na Carolina do Sul, nos Estados Unidos.
Para ilustrar a matéria: os bebedouros de negros e brancos na Carolina do Sul, nos Estados Unidos.

Chegou até a redação do Jornal da USP Livre! um vídeo publicado na internet em que estudantes negros da USP que estavam passando em salas de aula na Faculdade de Economia e Administração para convidar para uma discussão a respeito de cotas na universidade foram interrompidos pela professora e por alguns alunos, pois a aula tinha que continuar.

No vídeo, que tem duração de 16 min, os estudantes negros são “convidados” a sair pela professora que diz que ali não é hora para discutir “aquilo” e impedidos de falar por estudantes “coxinhas” que estavam na aula.

O interessante é que os estudantes negros não se intimidaram e partiram para um debate exaltado que deixou evidente como o racismo é latente na USP. Um dos “coxinhas” que se insurgiu querendo que os alunos negros se retirassem, dizendo “EU QUERO TER AULA! TEM HORÁRIO!”, expressou claramente como pensa a direita uspiana a respeito da questão do negro na universidade.

Uma das “pérolas” proferidas por um dos “coxinhas” FEAno foi, “ESTUDA E ENTRA NA UNIVERSIDADE! NINGUÉM ESTÁ IMPEDINDO!”, “É FÁCIL!”.Ao ser questionado por uma estudante negra em qual colégio o “coxinha” tinha estudado, ele revelou que estudou, “com muito orgulho”,  no Colégio Vértice. Nós diríamos ainda mais, com muito orgulho e muito dinheiro.

“Coxinha abençoado”

O fato do “nosso coxinha” ter estudado no Colégio Vértice merece uma atenção especial diante da declaração dele em dizer que é fácil entrar USP bastando estudar. Este colégio, tradicional de São Paulo, tem quase 40 anos de existência e possui ensino médio e fundamental oferecendo período integral de estudos. Possui duas unidades na capital paulista, em áreas nobres. Segundo dados divulgados pela revista Infomoney em uma reportagem de novembro de 2013, o colégio é nada menos que o que possui a MAIS CARA MENSALIDADE NO TOP TEN dos “melhores” colégios de São Paulo. Mais caro que outros colégios também de renome como Bandeirantes, ETAPA, Móbile que já possuem uma mensalidade “modesta” de R$ 2.500,00 na média (veja lista completa aqui: http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/precos/noticia/3075429/veja-quanto-custa-estudar-nas-melhores-escolas-enem). Para estudar “com muito orgulho” no Vértice, o “coxinha” teve que desembolsar nada menos que R$ 3.398,00, mensais, valor divulgado na reportagem. Assim é fácil entrar na USP. Podemos dizer que esse é um “coxinha abençoado” por “Deus”.

Voltando ao debate

Este debate trouxe a tona e evidenciou como a discussão, até mesmo tímida, das cotas raciais na USP incomoda a direita branca e racista da universidade que tem um contingente de menos de 10% de estudantes negros em seus quadros estudantis. Uma aberração em se tratando do Brasil onde a população negra é superior a 50%.

Outro fato que chama a atenção, principalmente no que diz respeito ao clima político no Brasil com a direita tentando dar o golpe no governo do PT, é como os ânimos estão mais exaltados, principalmente dos “coxinhas” que se sentem mais à vontade para expressar a política direitista latente, no caso em questão o racismo.

A discussão teve outros desdobramentos com outros “coxinhas”, mas possui duas surpresas mais para o final do vídeo que aqui não vamos revelar para não tirar o interesse dos leitores. Sendo um deles bem ao final revelando quem gravou tudo! Vale muito a pena assistir!

Assista aqui o vídeo na íntegra:

3 comentários

  1. Engraçado, para quem tiver curiosidade basta entrar no site do colégio e ver a Galeria de Fotos deles, e observar quantos negros estão lá.

    Curtir

Os comentários estão desativados.