Quem é contra o golpe vai ao ato

Há mais de um ano está na ordem do dia a derrubada de Dilma pela direita. A direita organizada no congresso em partidos com o PSDB, DEM, Solidariedade, organizada na imprensa com a Rede Globo, Folha de S. Paulo etc, organizada na FIESP, no poder judiciário e na Polícia Federal como vimos na Operação Lava-Jato está fazendo de tudo para derrubar o governo, não importa o meio, seja o TSE, seja impeachment.

A situação está polarizada e não existe, no momento, terceira via. Ou a direita derruba o PT e assume o governo, ou o governo continua, o governo está ameaçado de ser derrubado pela direita, que detém a iniciativa. O governo da direita seria um gravíssimo retrocesso, seria um governo que traria ataques muitos mais duros do que os que o PT é capaz de dar, veja a atuação dos governos do PSDB em SP, PR, e GO.

Em resposta aos atos da direita, foram convocados grandes atos pelas principais organizações do povo (CUT, UNE, os partidos de esquerda) para derrotar o golpe, todos os que falam contra o golpe tem o dever de compor esses atos, que são a única frente de luta contra o golpe.

Dizer ser contra o impeachment mas não fazer nada é ser deixar o caminho desimpedido para os golpistas, a luta contra o golpe se dá nas ruas, agindo para derrota-los, numa frente com todos os setores que são contra o golpe.