Quem não luta contra o golpe é… governista!

A esquerda pequeno-burguesa, representada na USP por diversas siglas, encabeçadas por PSTU e PSOL, trocou durante os seguidos governos do PT a luta de classes pela “luta contra o governo da vez”. Levaram esta política acusando todos que não mantinham a mesma posição que eles de “governistas”, até a derrubada do governo de Dilma Rousseff.

Após o golpe, tentam levar esta mesma política, mas são incapazes de voltar suas baterias contra o governo golpista. Nem mesmo reconhecem o golpe. Estes grupos falam em “fora todos”, sem dizer quem são “todos”, deixando implícito que para eles o “Fora Dilma” era um começo, um bom começo… Alguns até mesmo chegaram a repetir abertamente a palavra de ordem da direita, falando em “Fora Dilma”.

Não reconhecem que a derrubada do governo foi um golpe. Aqueles que agora estão no poder querem impor o programa da oposição de direita ao governo Dilma, privatizando tudo o que for possível, acabando com os programas sociais e os direitos trabalhistas de uma vez.

Enquanto isso, acusavam os que lutam contra o golpe de Estado de “governistas”. Agora, são vítimas da sua própria ignorância política e teórica.

O eixo imaginário do “anti-governismo” da esquerda pequeno-burguesa a conduziu à sua posição atual: defensores do governo Temer, do PMDB, PSDB e DEM, isto é, “governistas” da pior espécie!

Lúcio Falsi
Estudante de História