Trabalho na greve?

A partir desta segunda-feira (30), os docentes da USP se juntam a funcionários e estudantes na greve. A greve dos professores, no entanto, nunca é uma greve total, não só em relação à adesão, mas no próprio trabalho daqueles que se dizem em greve.

Já é corriqueiro que nas greves professores continuem com suas pesquisas e ainda cobrem trabalhos de nós estudantes. É uma greve pró-forma. Não querem paralisar de fato toda a atividade da universidade. A cobrança de trabalhos e em alguns casos até a realização de provas virtuais é o que mais afeta os estudantes e nossa organização. Os estudantes que se recusam a fazer estes trabalhos, por estarem em greve, são prejudicados, impedidos de conseguir concluir a matéria.